quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Turismo em Atlanta

Neste ano de 2015, o dia 19 de Janeiro foi feriado aqui nos Estados Unidos. O motivo é lembrar e honrar a memória Martin Luther King Jr. que na realidade não nasceu no dia 19, mas no dia 15 de Janeiro de 1929. O projeto de lei para fazer do dia do seu nascimento um feriado começou logo depois do seu assassinato em 1968, mas foi sancionado apenas em 1983 pelo então presidente Ronald Reagan e tornou-se efetivamente um feriado nacional apenas em 1986, não sem luta, marca da vida e ministério de MLK Jr. O dia escolhido atualmente para celebrar tem sido a terceira segunda feira do mês de Janeiro.
Estar nesse país  e viver na região metropolitana de Atlanta tem sido um grande privilégio. Além da beleza natural da região, algumas atrações turísticas são indispensáveis para quem pensa em vir pra cá. O Geórgia Aquarium e o museu da Coca-cola bem no centro da cidade atraem milhares de pessoas todos os anos. Fazer compras ou  assistir espetáculos esportivos do Falcons (Futebol americano), Hawks (NBA) ou Braves (Baseball) também é muito divertido. Também estão aqui algumas grandes igrejas como a Mount Pisgah UMC, a Passion City Church e a North Point Community cujos cultos dominicais são um espetáculo à parte.
Também temos tido o privilégio de receber muitas visitas desde que mudamos para a América e a maioria dos nossos amigos tem desfrutado da oportunidade de fazer várias dessas atividades que acabei de listar. Algumas vezes temos condições de acompanhá-los, o que torna tudo mais agradável.
Cerca de 6 meses atrás, porém, fui com o Pr. Luciano Pereira conhecer o memorial Martin Luther King, um lugar muito perto de vários pontos turísticos famosos, mas que tem uma proposta muito diferente. Não é um lugar divertido ou encantador. É uma América diferente, um monumento da realidade que não encanta, mas transforma.
ML como seus familiares o chamavam quando criança, filho e neto de pastores Batistas, nasceu em casa na Rua Auburn na região central da cidade de Atlanta. Na época, uma rua de população predominantemente negra de classe média. É nesse cenário, poucos metros da casa do seu nascimento, que ficam a igreja Batista Ebenezer (hoje museu), a nova Igreja Batista Ebenezer (em plena atividade), a estação número 6 do corpo de bombeiros (também museu), além do memorial deste grande líder do século XX.
Não pretendo repetir aqui a história já narrada tão bem e de tantas maneiras, mas gostaria de compartilhar minha experiência de visitar esse lugar que não camufla a realidade do mundo (que foi e é) cheio de opressão e luta.
Logo na infância, aos 6 anos, sofreu muito ao ser proibido de brincar com seu melhor amigo porque este era branco, dor transformada em vida quando aos 15 aprendeu sobre amar os inimigos. Sua história é feita de ricos detalhes, desde o nascimento até o seu assassinato, contudo, nada me impactou mais do que os sermões pregados com palavras e atitudes, cheio de ousadia e profundidade, reflexos de uma convicção de fé bíblica clara e muito bem contextualizada. É o poder da Palavra de Deus despedaçando o jugo. Suas convicções de que a liberdade precisa ser reivindicada, de que o amor (e a consequente não violência) é único caminho possível e de que a liberdade plena e final é a vida eterna com Deus, impressionam e tocam mesmo o visitante mais insensível.
Visitar este lugar me deixou mais do que inspirado, e meus convidados têm testemunhado o mesmo. Conhecer o sul dos Estados Unidos é uma oportunidade ímpar, o palco de grandes lutas, abolição tardia da escravatura e berço da luta contra a segregação racial. A luta não acabou, pois como sabemos e cremos a liberdade completa, o “free at last”, somente acontecerá com a manifestação plena do Reino de Deus. Todo aquele que tem a vocação de andar com Jesus precisa entender que vive para anunciar esse Reino.

Ainda gosto de levar meus convidados a lugares divertidos, mas eles têm ouvido de mim que, além de torcermos pelo Hawks no Philips Arena ou ir às compras, precisam fazer uma visitinha especial. Até agora tem sido o passeio mais abençoador.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

MAIO DE 2014


Seis meses vivendo nos Estados Unidos, mais precisamente na região metropolitana de Atlanta, trabalhando numa pequena comunidade metodista de brasileiros imigrantes – a Communitàs, encarando os desafios da adaptação à nova cultura, protegendo a família do encanto demasiado e das frustrações, apoiando e recebendo apoio de pessoas até então estranhas e que dia a dia vão se tornando mais próximas e companheiras na caminhada.
Às vezes parece que faz muito tempo... mas há dias que parece que chegamos ontem. Nossa interpretação quando a isso depende muito do ambiente emocional de cada dia, até mesmo com a língua inglesa. Há dias em que a construção de uma frase impressiona, já noutros precisamos fazer muito esforço (acessar o google) para dizer que o livro está sobre a mesa (The book is over....?).
Nossa casa tem sido um porto seguro, numa rua tranquila onde as crianças aprenderam a andar de bicicleta e um pequeno quintal com grama, onde batemos uma bolinha (eu o Arthur), fazemos picnic e tomamos chimarrão. Nossa comunidade é um presente de Deus, cheia de desafios e com um potencial incrível para abraçar e alcançar. Sempre tem comida boa e um ambiente aconchegante. Recentemente os adolescentes organizaram um espaço para oração...
Nada nos falta, apenas sentimos muito a distância dos amigos, da família, da cultura... mas vivemos tempos modernos: Skype, facetime, facebook, instagran, what’s, promoções de passagens aéreas, etc. não dá pra reclamar. Até dona Carmélia usa o Skype!!!
Pois é pessoal, o melhor de tudo é que Deus está conosco! Além da rotina própria da igreja, três coisas têm sido o desafio nosso de cada dia. Vida com Deus (devocional), tempo com a família e exercício físico. Tento não acabar um dia normal sem que essas coisas aconteçam. Lembro-me do conselho do apóstolo Paulo para Timóteo: “cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que você ensina” (I Tm 5.15; NTLH). Nossa gratidão a Jesus, nosso Senhor a quem direcionamos toda honra e toda a glória.

segunda-feira, 10 de março de 2014

CARÁTER

A vereda do justo é como a luz da alvorada, que brilha cada vez mais até a plena claridade do dia. (Pv. 4:18)
O amanhecer traz grande satisfação à minha alma. Fico feliz em ver a vida retomando o seu ritmo à medida que o dia chega. Naturalmente, prefiro ver o sol nascer em lugares onde a beleza natural se destaca. Tive várias dessas oportunidades na praia, na fazenda, num acampamento de pesca, na bela vista do 23 andar do prédio que morávamos em Curitiba, recentemente da grande janela da copa de nossa casa em Woodstock onde junto com o amanhecer aparecem os esquilos e cardeais na pequena floresta sem folhas (por conta do inverno), etc. Lembro-me de tantos, mas dois foram inesquecíveis e aconteceram em dias subsequentes numa viagem entre Egito e Israel e ambos nas terras do Egito. A primeira foi no monte Sinai, depois da escalada de uma madrugada, ver o sol nascer sobre um mar de montanhas num deserto de rochas e a outra, logo no amanhecer do dia seguinte quando descansávamos num hotel às margens do mar vermelho e o sol crescia por detrás das montanhas da Arábia Saudita às 4 da manhã. Tirei fotos na tentativa de congelar aqueles momentos.
É bem verdade pra mim que esse momento incrível transforma paisagens inóspitas em verdadeiras obras de arte. Certamente isso é verdade também para a pessoa que passou a noite com um filho em febre, ou para aquele que, aterrorizado por conta de um tiroteio na favela onde vive vê no amanhecer um tom de alívio. Meu amigo Wilson Nogueira (pediatra da nossa filhinha) costumava dizer que durante a noite nossos monstros são maiores.
Entretanto, a meditação desta manhã não se refere à beleza natural do amanhecer, mas fala de desenvolvimento do caráter. A Vereda do justo significa nobreza de caráter que vai aparecendo com o tempo e brilhando cada vez mais até abençoar os outros como o dia perfeito abençoa a vida.
Isso não significa que o bom caráter aparecerá naturalmente como um processo inerente à vida. A Palavra de Deus diz que a vereda do justo não ficará oculta, se existir. Fazê-la existir é uma questão de disciplina, escolhas, tratamento e confrontos. Não se magoe com a repreensão do Senhor, escolha a sabedoria, não siga o caminho dos malfeitores, olhe sempre para frente... são alguns dos conselhos do livro de provérbios que são verdadeiras ferramentas no processo para termos o caráter de Cristo impresso em nosso caráter.

Se assim for, será apenas uma questão de tempo para amanhecer, pois a vereda do justo é como a luz do amanhecer, que brilha cada vez mais até ser dia perfeito.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

ANO NOVO

O período natalino e a passagem para 2014 foi muito diferente desta vez. Por um lado o inverno rigoroso, a distância dos familiares e amigos geraram em sentimento estranho. Por outro, as novidades da grande Atlanta, as cores e músicas, os novos amigos e mesmo o frio trouxeram grande alegria e esperança.
A rotina aqui é retomada rapidamente. A pausa na escola não passa de quinze dias e no trabalho é quase inexistente.
O campo missionário é terreno fértil para a pregação do Evangelho e nossa comunidade local tem grande potencial para crescer e para tocar outros grupos e até mesmo outras nações.
Minha oração é para que o Senhor nos conduza à Sua vontade para cooperarmos com o que o Senhor está fazendo nesta geração. Já algum tempo tenho usado a seguinte expressão em oração: “Querido Deus, sei que o Senhor no dia de hoje está agindo em muitos lugares no mundo de forma maravilhosa. Permita-me participar do seu mover em nome de Jesus”. Convido você para fazer esta oração também.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

COMMUNITÀS




Já estamos há um mês morando em Atlanta. A cidade é Woodstock e a igreja fica em Roswell, ambas na região metropolitana de Atlanta. Nossa casa montada e as crianças frequentando a escola evidenciam uma quase rotina.
Estamos aprendendo como falar, comer e dirigir por aqui e tudo está acontecendo muito rápido. A Igreja Metodista dos Estados Unidos (UMC) tem sido muito acolhedora e nossa comunidade local (Communitàs) tem sido muito carinhosa conosco neste início de jornada.
O desafio de trabalhar numa Igreja recém plantada rende grande aprendizado. Queremos ser uma igreja simples onde o imperativo do discipulado seja real. Sentimos muita falta da família e dos amigos, mas agradecemos a Deus pelo privilégio de viver o que estamos vivendo. Todos os dias o Senhor tem ministrado aos nossos corações e compartilho a Palavra deste dia.
“Jesus, a pedra principal, foi rejeitado pelos religiosos do passado e não poucas vezes tem sido rejeitado por religiosos do presente. Geralmente fala-se no nome dele e canta-se canções para ele, mas fazer de Jesus a nossa base, de seus ensinos nossas atitudes e do seu reino nosso alvo, verdadeiramente nos fará sermos seus discípulos”. Porque dele, por ele e para ele são todas as coisas.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

GLOBAL MINISTRIES


Desde o dia 19 de setembro eu e a Fabiana estamos participando de um treinamento da Global Ministries em Nova York, cumprindo assim um pré-requisito para trabalhar como missionários da Junta de Ministérios Globais da Metodista Unida. Além de nós, outros 14 missionários de várias partes do mundo participam deste treinamento que termina no dia 11 de outubro com o culto de comissionamento.
Nossa designação para Atlanta já foi feita e o processo do visto R1 já foi aprovado. Louvo a Deus pela vida das muitas pessoas que se uniram a nós em oração neste tempo de transição. Voltaremos ao Brasil depois do treinamento e cerca de uma semana depois já viajaremos para Atlanta para dar início ao trabalho.
O treinamento está sendo bom. mas a comunicação continua sendo um desafio e ainda é difícil expressar-me em inglês. Ontem tive o privilégio de pregar na igreja onde a pastora Lourdes Magalhães trabalha em New Jersey e foi muito bom (tudo em português).
O Senhor tem ministrado aos nossos corações de muitas maneiras e sabemos que muitos e novos desafios virão. Por hora, só agradeço a Deus pelo maravilhoso presente que foi a possibilidade das crianças virem conosco. Eles estão muito bem e tudo fica mais fácil com a família por perto.

Novos missionários da Global Ministries